Ouço com frequência relatos de casas mal dimensionadas, seja por terem ambientes pequenos demais, dificultando receber a família para um almoço, ou uma casa muito grande, com ambientes superdimensionados. Mas afinal, qual metragem é adequada para os cômodos?

medir-casa-4Além das medidas mínimas ou confortáveis que você vai encontrar abaixo, há uma dica que sempre dou: pegue a fita métrica e analise os ambientes da sua atual moradia. Como eles funcionam para você? Funcionam perfeitamente? Estão apertados? Ou está sobrando muito espaço? A partir disso, você terá ideia das medidas necessárias para que os ambientes ou a casa nova em si, seja mais confortável no quesito dimensões. É importante analisar as circulações e se há possibilidade de incluir ou aumentar um móvel que você tenha interesse ou possa ser necessário. A partir da soma das circulações e do mobiliário que você possui ou deseja, podemos chegar a uma metragem confortável e funcional para seus ambientes.

Além dessa dica, existem informações padrão que auxiliam esse dimensionamento. Confira abaixo e saiba qual a metragem adequada dos cômodos.

SALAS DE ESTAR: A circulação mínima é de 60cm (para PNE 80 cm) mas para incluir uma mesa de centro em salas estreitas, essa distância pode ser 40 cm. Se o rack tiver gavetas, que se estendem cerca de 30 cm quando abertas, você deve deixar um intervalo de 50 cm, desse móvel até a mesa. Entre o braço do estofado e a parede devem restar 10 cm, para abrigar a cortina. A mesinha lateral também fica afastada. Área mínima da sala de estar: 12 m².

SALAS DE JANTAR: Quase encostar a mesa na parede libera mais espaço para a circulação e possibilita usar um aparador na parede em frente. Entre as cadeiras e a parede, devem sobrar no mínimo 60 cm, caso as cadeiras tenham braços, 80 cm. Quando as cadeiras ficam em uma circulação, deve ser deixado 80 cm, para não prejudicar a circulação mesmo quando alguém empurrar a cadeira para trás.

SALA DE ESTAR E JANTAR
COZINHAS: Estabeleça um corredor mínimo de 1 m de largura. A distância supera a de outros cômodos para garantir a mobilidade de duas pessoas – enquanto uma usa a bancada, a pia ou o fogão, a outra transita com segurança, já que muitas vezes é necessário carregar louças e pratos quentes. Entre geladeira e fogão devem ser mantidos no mínimo 10 cm de cada lado. Quando o forno estiver aberto, é importante que restem livres 65 cm ou mais para que se consiga agachar, tirar o recipiente do interior e levantar. A área mínima para uma cozinha é 4 m². No entanto, as cozinhas deixaram de ser locais exclusivos para a preparação de alimentos e lavagem de louça. A maioria das famílias passa um tempo considerável na cozinha, que tendem, cada vez mais a serem utilizadas como salas de estar. Logo, não recomendo utilizar a área mínima.

COZINHAS

DORMITÓRIOS: Nas duas laterais da cama preserve a passagem mínima de 60 cm, possibilitando que o usuário se sente para calçar os sapatos e ainda suporte dois criados-mudos, com folga entre o colchão e a parede. Em frente ao guarda-roupa deve haver 60 cm livres, para portas com no máximo 45 cm. Ou então opte por portas de correr. De modo geral, dormitórios principais tem área mínima de 12 m², demais dormitórios de casal, 10 m² e de solteiro 8 m².DORMITÓRIOS

BANHEIRO: A área mínima prevista no Código de Edificações Municipal é de 3 m². Entre o vaso sanitário e a parede oposta, deve haver no mínimo 60 cm, para garantir o acesso ao boxe. Cada lateral da bacia deve distar ao menos 30 cm dos elementos vizinhos, o que dá mais conforto ao usuário e permite apoiar uma lixeira e uma papeleira no piso. Na área de banho, 90 cm é a largura mínima para o boxe. Assim, o usuário se agacha e se movimenta livremente enquanto se ensaboa, lava o cabelo e se enxuga.BANHEIRO

Essas medidas, mesmo sendo as mínimas recomendadas auxiliam você a planejar a sua casa. Dimensões um pouco maiores que essas, serão confortáveis, mas muito maiores, podem se tornar inviáveis, gastando muito para mobiliar os espaços, para iluminar, aquecer ou esfriar o ambiente. Sendo assim, ambientes muito grandes não são garantia de conforto. O importante é que a casa e os ambientes tenham circulações funcionais, comportem o mobiliário desejado ou necessário, e estejam de acordo com sua realidade, sua personalidade e o seu dia-a-dia.

Invista em um bom projeto arquitetônico. Isso fará toda a diferença!

Arquiteta e Urbanista, catarinense, apaixonada pela profissão. Atua no mercado de arquitetura e interiores residenciais no extremo oeste de Santa Catarina.