Você sabia que as trincas ocupam o segundo lugar entre os defeitos mais comuns na construção civil? Pois é, perdem apenas para os problemas de umidade.6973_zoom

Antes demais nada, é importante reconhecer o tipo de fenda:

– Fissura: abertura superficial com espessura de até 1mm. É de menor gravidade, estreita e alongada. Não possui problema estrutural e não é perigosa. Mas é importante observar se ela não evolui com o passar do tempo, pois pode ser o primeiro estágio da fenda.
– Trinca: mais perigosa que a fissura, sua espessura é de 1 a 3mm. A abertura é mais profunda e acentuada. Pode afetar a segurança dos elementos estruturais da residência.
– Rachadura: muito perigosa, requer imediata atenção. Sua espessura é acima de 3mm, ocorre a ruptura do elemento, separando em duas partes. A abertura é grande, profunda e acentuada, de fácil observação. A água, o vento e a luz são capazes de passar através da parede ou teto danificados.

Para saber se a fenda é grave, meça a largura e profundidade. E para saber se ela evoluiu com o tempo, anote as medidas da abertura (profundidade e largura). Espere uns dias ou 1 mês e examine novamente anotando as medidas e depois as compare e veja se teve alteração ou não. Se a evolução for rápida, procure imediatamente ajuda com um profissional.

Por que surgem essas fendas?

São diversos os motivos que podem estar relacionados, entre eles:
– Junção de dois materiais com diferentes coeficientes de dilatação;
– Uso de areia inadequada ou contaminada e má aderência do revestimento à estrutura;
– Comprometimento estrutural;
– Sobrecarga de uso calculada inadequadamente;
– Retirada de elementos de escoramento durante a fase construtiva;
– Acomodação de elementos construtivos: sempre que se constrói uma edificação, há uma acomodação do solo, um assentamento em maior ou menor grau. Assim, dependendo de como foi feita a fundação, uma parte da casa pode ceder mais que a outra, causando as fendas;
– Dilatação térmica: algumas partes da casa, por ficarem expostas ao sol, dilatam ou retraem mais do que outras, podendo assim causar as fendas;
– Retração do material: é a perda de água nas camadas de revestimento;
– Infiltração: quando há algum vazamento ou má impermeabilização ocasionando a entrada de água da chuva, no caso do concreto a água penetrará e aos poucos atingirá a armadura de ferro provocando sua corrosão. A consequência será a queda de partes do concreto, deixando a ferragem exposta, acelerando ainda mais o processo de corrosão;
– Vibrações e trepidações causadas tráfego excessivo de veículos na via.

Como saber se a trinca na parede não vai aumentar?

Se a trinca for superficial e bem fininha, faça o seguinte teste:
– Se for dentro de casa, prepare uma pasta com gesso e água e feche-a, passando a massa com o dedo;
– Se for em área externa, faça o mesmo, mas usando uma pasta de cal, cimento e água, em proporções iguais.
Observe por 3 dias. Se elas continuarem fechadas é sinal de que não vão aumentar e o pedreiro pode fechar definitivamente. Se reabrirem, pode ser sinal de problemas na estrutura da casa e é necessário fazer uma avaliação.

Eliminando o problema

Para reparar as fendas mais leves, o pedreiro deverá formar, sobre ela, um “V”, com uma ferramenta chamada abre-trinca, ultrapassando 10cm em cada extremidade. Limpar a superfície e aplicar fundo preparador de paredes. Preencher a fenda com sela-trinca ou argamassa e colocar uma tela de poliéster. Acertar com massa fina e pintar com tinta elastomérica. É imprescindível o uso de produtos próprios para trincas, pois possuem características elásticas, mas antes é importante saber qual a gravidade da fenda, para não mascarar um problema maior.

Produtos especiais para fissuras, trincas e rachaduras

– Tinta Sol e Chuva, da Tintas Coral (300% de elasticidade) cria uma película impermeável flexível que acompanha a dilatação e a retração de paredes de alvenaria e de concreto, prevenindo o aparecimento de fissuras;
– Tinta Frentes e Fachadas, da Tintas Renner, nas versões fosco (400% de elasticidade) e semibrilho (800% de elasticidade), previne e também cobre fissuras de até 2,5 mm em lajes e em paredes externas e internas;
– Selatrinca, da Suvinil, é uma resina acrílica elástica, parecida com uma goma, própria para preencher fissuras de 2 a 5 mm em alvenaria;
– Fechatrinca, da Vedacit, é uma massa acrílica indicada para vedar fissuras de até 5 mm de abertura, em paredes de concreto ou de alvenaria, internas e externas. Espere 24 horas, lixe e aplique a tinta.

Arquiteta e Urbanista, catarinense, apaixonada pela profissão. Atua no mercado de arquitetura e interiores residenciais no extremo oeste de Santa Catarina.