Casa ou apartamento? A casa própria é um dos principais sonhos dos brasileiros. Mas, após poupar dinheiro, é comum se perguntar qual é a melhor opção. Veja abaixo as características de cada opção:

Desktop5

CASA

– Liberdade. Quem estabelece as regras é você, diferentemente de um apartamento, em que é preciso conviver com as regras do condomínio;
– Privacidade. A casa oferece um espaço maior e a ausência de vizinhos tão próximos faz com que, quem procure por uma sensação maior de privacidade, se sinta melhor em uma casa;
– Espaço. Nesse tipo de moradia há um maior espaço para criar plantas ou ter algum animal de estimação;
– Custos. Apesar de não ter custos de condomínio, haverá com manutenção. Além da segurança, outros gastos embutidos no condomínio passam a ser seus, como água e manutenção da fachada;
– Multiuso. Dá para fazer empresa junto. Escritórios anexos, oficinas, salão de beleza, entre outras atividades geralmente é possível;
– Garagem. Casas possibilitam a entrada de vários automóveis ao contrário dos apartamentos onde essas vagas são limitadas e fixas.
– Reforma. Você pode fazer reformas com mudanças estruturais, pode aumentar a cozinha, fazer mais um quarto, uma varanda, dobrar o tamanho da lavanderia, entre outras mudanças. Desde que o terreno e a planta do imóvel permitam. No caso de apto isto não acontece e você terá sempre o mesmo espaço.
– Segurança. Para quem se preocupa com a segurança e, mesmo assim, pretende morar em uma casa, uma alternativa é comprar um imóvel em um condomínio horizontal fechado. Pois condomínios fechados trazem a segurança dos apartamentos, com o espaço e a privacidade de morar em uma casa.

APARTAMENTO

– Regras. Morar em apartamento requer a aceitação de regras. Antes de comprar o imóvel é preciso analisar a rotina do local para ver se combina com seu estilo de vida.
– Segurança. É uma das principais vantagens, especialmente se você tiver uma portaria monitorada e controle de acesso ao prédio. É claro que isso não garante 100% de segurança, mas ajuda. E é muito bom principalmente para quem mora sozinho ou para famílias que passam muito tempo viajando.
– Amizades. Existe a oportunidade de criar um vínculo de amizade com os outros moradores e contar com eles quando precisar que alguém coloque água nas plantas ou alimente os peixes caso você fique longe por um período longo.
– Crianças. Os condomínios são uma oportunidade para os filhos fazerem amizades e brincar pelo local com a segurança de estar dentro de casa.
– Localização. Morar um local privilegiado as vezes é complicado, isto porque são locais caros e comprar uma casa em regiões centrais das cidades ou em regiões próximas a centros comerciais, por exemplo, pode custar muito dinheiro e as opções são poucas. Geralmente nesses locais os apartamentos são mais comuns o que facilita encontrar esse tipo de imóvel.
– Barulho. Algo que pode incomodar bastante nos edifícios residenciais são os casos comuns de barulho: som alto, barulho de salto alto, etc.. Tem edifícios com projetos acústicos que minimizam este problema, mas em muitos casos o barulho ainda é comum.
– Escada ou elevador. Em prédios com poucos andares é comum não ter elevador e embora seja uma vantagem, pois o condomínio geralmente é mais barato, há um problema sério a ser considerado, pois imagine você chegar em casa depois de ir no supermercado ou quando precisar subir e descer carregando seus filhos?

Portanto, analise seu estilo de vida e suas necessidades para saber o que combina melhor com você, casa ou apartamento.

Arquiteta e Urbanista, catarinense, apaixonada pela profissão. Atua no mercado de arquitetura e interiores residenciais no extremo oeste de Santa Catarina.