Você, que vai construir ou reformar sabe quais os tipos de pisos que você pode usar em sua casa? Provavelmente você lembre da cerâmica, do porcelanato, do laminado e no máximo do vinílico. Mas sabia que existem ainda outros tipos de pisos para você escolher?! Ficou curioso? Então confira abaixo os 12 tipos de pisos, com descrição e foto de cada um deles!

TIPOS DE PISO1

  1. Cerâmica

A cerâmica é o tipo de piso mais conhecido e usado no Brasil. É encontrada em diversos tamanhos (20×30, 40×40, 60×60, 80×80, 100×100), diversas texturas, qualidades e preços.

Podem ser utilizadas tanto em áreas internas quanto externas. A escolha da cerâmica para o tipo de ambiente é feita de acordo com seu PEI – Resistência à Abrasão. O PEI determina a durabilidade de um produto em condições normais de uso.

TIPOS DE PISO

  1. Porcelanatos

Porcelanatos são revestimentos com baixíssima absorção de água e alta performance, produzido com matérias-primas nobres.

Existem diferentes tipos de porcelanato, de acordo com o acabamento, tanto da superfície quanto da lateral (retificado ou não). Podem ser usados em pisos, paredes, fachadas, móveis e decorações.

Quando adicionado o esmalte, é possível reproduzir diferentes tipos de materiais da natureza, como madeiras, mármores, pedras e argilas. Além de materiais sintéticos utilizados na arquitetura, como o concreto e o metal.

A superfície pode receber diferentes acabamentos, como polimentos, que conferem brilho, acabamento natural mate, ou abrasivo, ideal para ambientes externos. Podendo assim ser usado nos mais diversos ambientes residenciais e comerciais.

São lindos, resistentes, fáceis de manter e estão disponíveis em vários modelos, marcas e valores. Essas características fazem com que o porcelanato lidere a escolha dos consumidores.

PORCELANATO

  1. Porcelanato líquido

O porcelanato líquido é também conhecido como piso epóxi. É usado há muito tempo em ambientes públicos, institucionais e comerciais. Porém, ultimamente vem ganhando muito destaque nos projetos arquitetônicos e de decoração. Suas duas principais características são o altíssimo grau de brilho e a ausência de emendas: seu acabamento é perfeitamente liso.

Esse piso trata-se de uma resina que endurece quando adicionado a outros agentes químicos, formando a camada do revestimento. Essa manta líquida é aplicada sobre o piso já existente, conferindo uniformidade, brilho e impermeabilização.

Esse piso pode ser decorado com estampas, padrões, cores e desenhos, criando algo totalmente personalizado.

O piso epóxi é de fácil manutenção, além de ser bastante resistente e durável.

PORCELANATO LIQUIDO

  1. Laminado de madeira

Esse piso tem esse nome porque é constituído de lâminas de madeira. Ele é fácil de instalar (aprox. 50m² em um dia) e o custo desse revestimento não é alto. Pode-se instalá-lo sobre o piso existente, desde que nivelado e sem buracos, utilizando cola ou pelo sistema click (encaixe). Devido à tecnologia de fabricação, são muito mais duráveis do que pisos de madeira (tábua corrida). Outra vantagem, é que esse piso é sustentável, produzido com madeira reflorestada.

Os pisos laminados são muito utilizados em ambientes internos, como áreas comerciais e residenciais. Entre as principais características está a resistência a riscos e a abrasão, facilidade para limpar e alta durabilidade. Como a madeira, o piso laminado tem ampla variedade de tipos, cores e de madeiras simuladas.

Lembre-se: o contato com água ou sol pode deformar a peça. A limpeza deve ser feita apenas com pano úmido.

LAMINADO

  1. Piso Vinílico

É um piso produzido com resina de PVC, com estampas que imitam elementos naturais, como madeiras. Possui formatos de réguas com dimensões que variam, mas em média são de 15cm X 90cm ou 20cm X 120cm. Encontrado nos sistemas de encaixe, cola e autoadesivo.

O acabamento do vinílico é de alta qualidade e ele é mais resistente à água do que o laminado. A espessura é menor e são mais flexíveis. Não faz barulho ao andar, ideal para quem tem animais de estimação e crianças.

Ecologicamente correto, o piso pode ser aplicado diretamente no contrapiso cimentado ou na cerâmica. Se você gosta de variedade, o vinílico imita diversas texturas, desde de pedras, mármore e madeira.

Modernidade e conforto são alguns dos destaques desse piso. Além de ser muito resistente, é térmico, ou seja, mantém as temperaturas agradáveis nos ambientes. Porém não é recomendado para áreas externas ou com muito contato com água como banheiros.

VINÍLICO

  1. Granito

O granito é uma pedra muito indicada para pisos devido a sua beleza, resistência e durabilidade. São utilizados desde residências até em locais com grande movimentação de pessoas como shoppings, supermercados, aeroportos, etc.

Existem várias tonalidades e quanto mais rara for a pedra, mais caro.

Os granitos mais conhecidos são o Cinza Corumbá, Cinza Andorinha, Preto São Gabriel, Verde Ubatuba e Branco Itaúna.

GRANITO

  1. Mármore

O mármore também é uma rocha metamórfica, composta principalmente por minerais de calcita com coloração mais uniforme e formação de veios definidos.

Sem dúvida o melhor uso do mármore é como piso de ambientes internos. Um revestimento em mármore é considerado um dos mais elegantes e sofisticados que alguém pode utilizar. Quando ele é bem instalado, não ficam marcas entre as placas da pedra, garantindo um piso uniforme. Como a maioria das pedras de mármore tem cores claras e neutras, o ar de sofisticação é garantido.

Uma das vantagens do mármore é que ele é mais leve que o granito, o que permite a sua utilização na parede. Mas por ser mais leve que o granito, a sua utilização como piso fica limitada a áreas com um fluxo pequeno de pessoas, como em áreas residenciais.

O Brasil produz pouco mármore, por isso tem um custo elevado. Mas quando comparado ao quartzo e ao silestone, o mármore tem o valor menor, o que o torna mais atrativo. No entanto, quando comparado ao granito, tem maior valor, por isso a concorrência entre as duas.

MÁRMORE

  1. Silestone

Silestone é um material composto por grande quantidade de quartzo, outros minerais em menor escala, resina de poliéster e pigmentos. É um material versátil, higiênico e com boa resistência à abrasão. Sendo assim, uma ótima alternativa para cozinhas, banheiros, pisos ou paredes. Possui várias texturas (mais de 70 cores e tipos) porém seu custo é bastante elevado, limitando seu uso.

SILESTONE

  1. Lajota ou Ladrilho Hidráulico

Revestimento de muito sucesso no século XIX, principalmente os ladrilhos europeus. Hoje estão de volta a moda, mas tem um custo muito elevado se comparado com as cerâmicas e porcelanatos. São a base de cimento e tem produção artesanal, dali o preço elevado. Há pouco tempo fiz um artigo específico sobre o ladrilho, confira e apaixone-se!

Dica: se você gosta da estética dos ladrilhos, tem a opção de comprar porcelanato que imita esse material. O porcelanato além de ser mais barato é mais fácil de ser encontrado.

LADRILHO HIDRÁULICO

  1. Cimento Queimado

 Solução de baixo custo para pisos e quando bem feita confere ótimo acabamento. Indicado tanto para áreas internas quanto para áreas externas. Muito utilizado em bares, boates e galpões industriais.

O cimento queimado foi muito utilizado no passado juntamente com ceras coloridas conhecidas como Vermelhão, Amarelão, etc. E nos últimos anos voltou a ser utilizado, por sua flexibilidade (cores e acabamentos) e durabilidade. O cimento queimado atende a todos os gostos podendo ter uma proposta rústica, moderna ou industrial.

O fato de ele ser chamado de queimado é devido ao processo de jogar pó de cimento sobre o piso de argamassa de cimento e areia ainda mole e úmido. O visual final é de um piso monolítico, sem rejuntes, o que torna os ambientes visualmente maiores.

Por ser um piso frio ele pode ser utilizado em quase todos os ambientes. Possui alta resistência por isso é muito difícil que este material quebre. Porém, é provável o surgimento de trincas, que não comprometem a beleza no espaço, mas dão um charme ao material.

É recomendável o uso de uma mão de obra especializada para não haver erros. A variação da tonalidade do piso é normal, mas grandes variações podem dar aspecto manchado. Deve-se utilizar a mesma marca e lote de cimento dentro do mesmo ambiente para que não altere na tonalidade.

Caso a intenção seja dar ao piso a impressão de concreto, mas você tenha receio das trincas pode usar um porcelanato que imita cimento queimado. O porcelanato deixa o ambiente mais sofisticado e pode ser utilizado dentro do box. Porém, você não vai conseguir fugir dos rejuntes, obviamente, e é isso que diferencia a imitação do verdadeiro.

CIMENTO

  1. Pedra Portuguesa

Muito utilizadas em calçadas a pedra portuguesa mais famosa do mundo é o calçadão de Copacabana no Rio de Janeiro. A execução do trabalho é bastante demorada porque cada pedra é assentada uma a uma.

Versáteis e de fácil manutenção. Deve-se realizar a limpeza periodicamente. Em calçadas, essa limpeza pode ser feita com lavadoras a jato (alta pressão) e sabão neutro. O ideal é limpar com certa frequência para evitar o acumulo de sujeira entre uma pedra e outra.

Porém, uma calçada revestida com pedra portuguesa pode ser motivo de reclamação em um sentido: mulheres com saltos altos acabam por “lascar” e até mesmo quebrar alguns saltos que podem ficar presos entre uma pedra ou outra, se não tiverem sido bem colocadas. Por isso o ideal é o assentamento dessas pedras em locais como praias e passeios em que os calçados utilizados sejam mais informais.

PEDRA PORTUGUESA

  1. Pedra São Tomé

Originária da cidade de São Thomé das Letras, no Sul de Minas Gerais. Tem como característica marcante a face lisa e regular, e a disponibilidade de cores: amarelada, clara, rosada e verde. Muito dura e resistente ao atrito, considerada um produto de extrema beleza, durabilidade e capacidade de composição com outras peças. Além disso, não absorve calor, é antiderrapante e suporta altas cargas de peso e atrito. É o piso mais utilizado ao redor de piscinas e em jardins. É considerado o melhor quartzito do mundo, sendo exportada para diversos continentes. São vendidas em peças regulares, irregulares, cacos e filetes.

PEDRA SÃO TOMÉ

Gostou de conhecer todos esses tipos de pisos? Ficou com alguma dúvida? Tem algum piso que não foi apresentado?

Deixe o seu comentário abaixo! 🙂

Em outro momento farei um artigo sobre o porcelanato, fique de olho!

Arquiteta e Urbanista, catarinense, apaixonada pela profissão. Atua no mercado de arquitetura e interiores residenciais no extremo oeste de Santa Catarina.